O Jogo do Bicho é uma bolsa de apostas semelhante a uma loteria federal, porém dentre outras diferenças, quem dá palpite do jogo do bicho pode apostar qualquer valor e o prêmio é proporcional ao valor jogado. A origem do Jogo do Bicho remonta ao final do Império e início da República no Brasil.
O Jogo é formado por uma tabela contendo 25 animais, cada um correspondendo a quatro dezenas, totalizando 10 dezenas finais nos sorteios da loteria. A tabela dos animais do Jogo do Bicho é o seguinte:


Tabela do Jogo do Bicho

palpite do jogo do bicho valor jogado

Cada número do Bicho é chamado de grupo. Para saber qual é o Bicho (grupo), se divide a dezena por 4, e se houver resto se agrega 1 ao quociente. Ex: 33 dividido por 4 é igual a 8, resta 1, então o grupo do animal é 9, que é a “cobra”.

Onde surgiu e quem foi o criador do Jogo do Bicho

O jogo do bicho foi criado pelo Barão João Batista Viana Drummond, carioca que viveu no final do século XIX, na cidade do Rio de Janeiro. Barão Drummond era um empresário muito respeitado no Tribunal, que participou de vários empreendimentos e investimentos e era um acionista da Companhia Ferro Carril Vila Isabel.

Vila Isabel foi o primeiro bairro planejado da cidade do Rio de Janeiro. A proposta de criação de um bairro que previa a instalação de um parque e um jardim zoológico, jardim que mais tarde se tornou o berço do Jogo do Bicho.

O então Comandante Drummond, sabendo do projeto, solicitou em 1884, a permissão para instalar o jardim zoológico. Quatro anos mais tarde, em julho de 1888, uma vez inaugurado oficialmente, o empreendimento foi um sucesso. Nesse mesmo ano, Drummond recebia do Imperador Pedro II o título de Barão.

A criação do parque de plantas exóticas

Em 1890, o barão, executando a segunda parte do projeto, ampliou as instalações do zoológico e criou um parque com plantas exóticas. Além disso, a situação financeira do zoológico, que já estava difícil, mesmo com a ajuda financeira recebida pelo município, agravou-se com a criação do parque.

O orçamento não foi suficiente para cobrir as despesas com a alimentação dos animais e manutenção do parque. Então o Barão tentou resolver o problema através da cobrança de taxas de entrada para os visitantes, mas esta medida não foi bem aceita e provocou um efeito contrário: os visitantes do jardim zoológico desapareceram.

O Barão se viu, mais uma vez, obrigado a pedir auxílio ao Município, tendo em vista a obtenção de uma licença de exploração de jogos públicos legítimos nas instalações do jardim zoológico, a fim de trazer de volta o público visitante. A licença foi concedida na condição de que o jogo fosse incluído nos chamados jogos de azar, em conformidade com as disposições do Código Penal de 1890.

O surgimento da ideia do Jogo do Bicho

O mexicano Ismael Zevada, assistente do Barão, com o objetivo de colaborar na solução do problema, mencionou o “jogo das flores” que existiam no seu país e que poderia ser adaptado aos animais. A ideia foi testada e implementada: 25 quadros foram pintados, cada quadro contendo um animal enumerado de 1 em diante.

Antes de abrir o jardim zoológico, o Barão escolheu um quadro e colocado em uma caixa localizada estrategicamente na porta. Em cada entrada havia uma figura pertencentes aos 25 animais. As 15:00hs, a porta se abria e os que estivessem em sua entrada era o animal sorteado, eram os ganhadores do prêmio em dinheiro.

O primeiro sorteio ocorreu em um domingo, em 3 de julho de 1892. O animal foi sorteado foi o avestruz. Nessa ocasião também foi mostrado um outro entretenimento público, mas o jogo do bicho foi quem ganhou mais aceitação e impacto sobre o jornal diário, até mais que a própria reabertura do zoológico.

O impacto, a repercussão, o sucesso, a importância e a polêmica

Jornal do Brasil, Jornal do Commercio, O País, Diario de Noticias, Gazeta de Notícias e O Tempo deram notícias do evento. Alguns jornais confirmaram o grande número de visitantes, incluindo autoridades, políticos e personalidades da alta sociedade carioca, outros incluíram em suas notícias que havia sido criado novas linhas de ônibus especialmente para facilitar o acesso ao zoológico.

Então, o zoológico se tornou um lugar passeio muito concorrido. Duas semanas após o primeiro sorteio, o valor do prêmio já se havia quadruplicado. Os compradores do Jogo do Bicho eram tantos que várias vezes ocorreram conflitos em disputa por um bilhete, tanto que o Barão foi forçado a chamar a polícia para garantir a ordem.

O zoológico se tornou um local de jogo e a situação se tornou um escândalo, ao desagrado das autoridades. O Barão não poderia imaginar que estava inaugurando assim um dos jogos mais populares e controversos do Rio de Janeiro e do Brasil.
Antes do conflito, em 1895, o prefeito Werneck de Almeida publicou o Decreto 133, que proibiu o desenho de animais nas instalações do zoo.

Nesse ponto, os bilhetes do jogo foram vendidos na Rua do Ouvidor, que era então a mais movimentada rua do Rio de Janeiro e estava longe de ser os portões do zoológico.
Em 1897, o Barão de Drummond morre, mas o jogo continua. Em 1899, foi promulgada a Lei 628, que estabeleceu a sentença de um a três meses de prisão para os acusados de praticar o Jogo do Bicho.

A imprensa desempenhou um papel na legitimação do jogo do bicho. No início do século XX, vários jornais foram criados em função do jogo. Em 1903 começou a circular O Bicho, primeiro jornal dedicado ao jogo, e mais tarde surgiu Talismã Mascotte.

Em 1915, o senador Érico Coelho introduziu um projeto de lei para legitimar o jogo do bicho, mas não foi aprovado. Segundo Magalhães (2006), a autoridade pública responsável pela Capital Federal, nunca conseguiu definir uma estratégia eficaz para combater os chamados “bicheiros” ou deixar bem claro o porque que, em algumas apostas de loteria era permitido o jogo e em outros não.

Em 1941, o jogo do bicho foi incluído nas violações do direito penal. Cavalcanti (1995) afirma que, após 1946, com as cassações de todas as licenças para a exploração de jogos de azar no Brasil, o jogo do bicho se expandiu muito mais, acompanhando o crescimento das áreas periféricas.

Assim, o Jogo do Bicho, embora perseguido, tornou-se parte da vida cotidiana, o folclore e a vida do povo brasileiro, seja sempre uma fonte de discórdia e infelicidade, tristeza e alegria. Já foi assunto de letras de canções, roteiros de filmes, novelas e enredos de escolas de samba.

Também foi abordada em pesquisas acadêmicas, livros, artigos de revistas e manchetes de muitos jornais. Sua história foi muitas vezes sufocada, seguindo as margens da sociedade, mas ainda está presente na cultura popular.

Agora que você já conhece a história, qual o seu palpite do jogo do bicho?

Vocabulário do jogo do bicho:

Acertar – ganhar
Apostar – jogar
Banqueiro – pessoa que financia o jogo
Bicheiro – proprietário da banca
Cambista – pessoa que passa o jogo
Dar na Cabeça – acertar o primeiro prêmio
Descarregar – passar parte do jogo mais concorrido para outro banqueiro
Fazer uma fezinha – jogar
Palpite – sugestões sobre o animal a ser sorteada
Palpite do jogo do bicho – sugerir quais animais possíveis de serem sorteadas
Ponto – lugar onde se joga
Prêmio – lista de resultados
Pule – do francês poule – comprovante do jogo
Quebrar a banca – ganhar um grande prêmio
Resultado do jogo do bicho deu no poste – saiu o resultado menos esperado – zebra

Palpite do jogo do bicho

 

Conheça a história do Jogo do Bicho

 

>>>> Resultado do jogo do bicho deu no poste <<<<